10 coisas mais peculiares e mitos no antigo Egito

O povo do Antigo Egito acreditava em sinais do mundo natural e grande parte de sua tomada de decisão era baseada neles. Suas crenças eram tão grandes que poderiam ser consideradas supersticiosas. Por exemplo, sua crença na vida após a morte era tão forte que eles se certificaram de que tudo o que a pessoa possuía fosse com eles em seu túmulo. Eles também tinham muitos mitos sobre o deus do sol Rá, que eles costumavam adorar, e sobre as muitas pirâmides que eles construíram.

As crenças do Egito Antigo tornaram-se cada vez mais complexas com o tempo, à medida que as pessoas as analisavam e embelezavam. Eles tiraram conclusões adicionais de suas suposições, e muitos mitos e tradições surgiram deles durante a era egípcia antiga. Algumas dessas crenças e costumes famosos foram:

1. Camelos nunca foram usados ​​para transporte

Os egípcios gostavam muito de animais. Isso ficou evidente pelo fato de não usarem animais para levantar cargas pesadas, mas pediram aos escravos que fizessem isso. Como o Egito era principalmente deserto, os camelos eram abundantes, eles eram fortes e poderiam facilmente ser usados ​​para o transporte, mas eles não eram. Os escravos, que também estavam prontamente disponíveis, foram obrigados a fazer o trabalho pesado.

Os burros, no entanto, eram usados ​​como o principal animal para transportar mercadorias de reino para reino. O rio Nilo fluiu através do Egito e as pessoas fazem bom uso dessa hidrovia também. Eles costumavam acreditar que o deus do sol estava navegando ao lado deles em seu barco solar enquanto navegavam em seus barcos na terra.

2. Os mortos não foram considerados mortos

Os egípcios acreditavam numa vida após a morte e asseguravam-se de que os mortos fossem mumificados com todos os seus luxos ao lado deles no túmulo, como ouro e ornamentos. Os mortos eram considerados ainda presentes e vivendo entre eles. Eles mantinham o senso da pessoa que ainda estava com eles, oferecendo oferendas no túmulo em intervalos durante o ano, acreditando que a pessoa morta também precisava ter comida regularmente, assim como os vivos.

3. A Tradição da Mumificação

Corpo antigo de múmia egípcia preservado por mumificação

Os egípcios foram muito cuidadosos com o processo de mumificação. Eles entenderam que isso impediria que os mortos fossem danificados e que o corpo permanecesse intacto por mais tempo. Os egípcios tinham uma maneira única de mumificar seus entes queridos. Enquanto faziam uma múmia, eles davam o maior número de passos possíveis para garantir que o corpo fosse bem preservado pelo maior número de dias possível, como bandagem e aplicação de temperos. Eles estavam bem informados sobre os tratamentos necessários e a quantidade de especiarias que eram necessárias para impedir que o corpo apodrecesse cedo demais. Os intestinos foram removidos e os cérebros foram retirados pelo nariz. No entanto, o coração foi deixado como eles acreditavam que este era o lugar onde a alma de uma pessoa vivia.

4. Os animais também foram mumificados

Animais no Egito Antigo eram amados e cuidados. A maioria dos faraós tinha gatos e cachorros de estimação e esses animais eram tratados com freqüência iguais ou melhores que os humanos. As pessoas também costumavam manter camelos e burros de estimação e raramente as usavam para o trabalho, preferindo usar seus escravos. Portanto, não é surpreendente que os arqueólogos também tenham encontrado animais mumificados em tumbas. Eles estavam enfaixados da mesma maneira, e túmulos foram construídos para eles também.

5. Levou 100.000 escravos para construir uma pirâmide

Escravos, predios, piramide

Pirâmides eram estruturas usadas para abrigar as múmias. Essas pirâmides eram triângulos tridimensionais e foram construídas com o máximo cuidado, pois abrigavam os túmulos dos mortos. Acreditava-se que eram necessários 100.000 escravos de cada vez para construir essas pirâmides, mas depois de muita pesquisa, e para surpresa de todos, descobriu-se que eles foram construídos com a ajuda de apenas 20.000 escravos.

Estas fascinantes pirâmides são simétricas e cerca de 130 pirâmides foram construídas no antigo Egito, muitas delas ainda hoje existentes. Eles mostram a quantidade de trabalho que entrou na construção e os materiais que foram usados.

6. Aqueles que tentaram abrir os túmulos foram amaldiçoados

Nem todo mundo que morreu no Egito Antigo tinha um túmulo, uma vez que estes só foram construídos para os poucos escolhidos: faraós, suas esposas ou membros da família real. Os túmulos continham todos os objetos de valor de uma pessoa para que pudessem continuar a viver como eles na vida após a morte.

📒 Leia online gratuitamente centenas de livros de História Antiga

Acreditava-se que qualquer um que abrisse uma tumba seria amaldiçoado, e alguns dos arqueólogos que abriram os primeiros túmulos morreram dentro de uma década, supostamente provando essa teoria e desencorajando as pessoas a abrir túmulos adicionais. Eles também acreditavam que, como o ouro e os tesouros haviam sido enterrados com instruções para nunca serem acessados ​​em nenhuma circunstância, isso enfureceria ainda mais os mortos. A existência de bactérias nocivas, vermes e outros contaminantes não foi levada em consideração, já que eles estavam felizes em acreditar na maldição.

7. Escravos foram enterrados com os corpos de seus faraós

Como as tumbas eram feitas basicamente para o conforto e o bem-estar do faraó, as pessoas eram encorajadas a incluir tudo o que ele poderia precisar para viver confortavelmente em sua vida após a morte. Inicialmente, isso apenas incluía objetos de valor como ouro, roupas, chinelos e outras coisas materialistas que seus faraós poderiam exigir, mas logo concluíram que as pessoas que serviram o faraó também deveriam ser enterradas junto com ele para que pudessem continuar a ajudar o faraó. faraó com seu trabalho na vida após a morte.

Muito rapidamente, verdadeiros escravos foram substituídos por stambi, estátuas de escravos colocados nos túmulos para ajudar o faraó, evitando assim que os escravos vivos fossem mortos. Estes stambi foram encontrados por arqueólogos em apenas alguns túmulos de faraós, mas acreditava-se ser um costume generalizado que foi encorajado pelos antigos egípcios que achavam que os escravos não deveriam ter que sacrificar suas próprias vidas, e poderiam então ir adiante. servir outros faraós.

8. Servos foram revestidos com mel

Servos estavam sempre à disposição para ajudar os faraós e eram vistos mais como escravos. Eles precisavam estar sempre à disposição dos faraós ou correr o risco de perder a vida. Eles não foram bem tratados e muitas vezes foram convidados a fazer trabalhos que não eram nada atraentes. Por exemplo, para evitar que o faraó fosse perturbado por moscas enquanto ele comia, os criados foram cobertos de mel e colocados ali perto. As moscas ficariam presas ao mel no corpo do criado e não seriam um incômodo para o faraó enquanto ele desfrutasse de sua refeição. Os escravos foram obrigados a aderir a essas regras peculiares e estavam sempre presentes nas refeições do faraó.

9. Ninguém poderia ver o cabelo do faraó

Deus egípcio de Osiris

Osiris era um deus egípcio muito importante que sempre usava uma coroa de ouro. Os faraós começaram a imitar Osaris para ampliar sua imagem e atrair o respeito das pessoas. Fora disso cresceu a crença de que o cabelo do faraó não deveria ser visto e os faraós também começaram a cobrir suas barbas com uma máscara de ouro. Esta tradição continuou até o final da época. A coroa era muito importante para distinguir entre um rei, um príncipe e os níveis inferiores da sociedade. Os faraós amavam ser adorados e é por isso que eles tentaram imitar os deuses, às vezes até adotando os nomes dos deuses e forçando as pessoas a adorá-los.

10. Os faraós usavam sandálias que tinham seus inimigos pintados nas solas

O faraó, o rei Tut, viveu apenas 18 anos, mas explorou enormemente o povo de seu reino. Ele até renomeou o deus que eles adoravam depois de si mesmo. As pessoas não estavam muito felizes com o que estava acontecendo e depois de sua morte, eles destruíram muitos monumentos e edifícios que ele construiu. Ele era, no entanto, um pensador progressista, acreditando que seus irmãos deveriam parar de lutar uns com os outros e viver em paz. Quando Tut foi desabilitado, ele evitou a guerra e pediu aos outros que também não lutassem. Seus esforços não produziram resultados.

Quando os arqueólogos escavaram seu túmulo e encontraram seus chinelos, viram que tinham pinturas de seus inimigos nas solas dos pés. Isso era para mostrar desprezo e desrespeito a seus inimigos enquanto ele estava literalmente andando sobre eles.

Outras conquistas de grande alcance

As crenças e tradições fortemente mantidas pelos antigos egípcios se espalharam por muitas partes do continente africano. Apesar de suas muitas superstições e crenças, o Egito Antigo era inovador e muito avançado em muitas áreas. Os egípcios foram os primeiros a descobrir papel, pasta de dente e muitos outros itens de uso diário que ainda estão em uso hoje. Eles também eram conhecidos por seu conhecimento superior de construção. Seus edifícios eram perfeitamente geométricos, embora não tivessem acesso a instrumentos de pesagem ou medição. Suas estruturas não eram apenas bonitas, mas também fortes.

Embora alguns desses mitos e tradições possam não ser inteiramente racionais, eles foram acreditados muito fortemente pelos antigos egípcios, fazendo com que eles se destacassem como um povo fascinante e intrigante, famoso por sua rica história e cultura.

Deixe um comentário